Política

ESCÂNDALO: PSL SC suspende deputados anti corrupção

Os deputados suspensos irão recorrer a instância nacional do partido

Por Redação
19/05/2020 14:32:30
1293 visualizações  Facebook   

Foto: /Divulgação

Após o escândalo dos respiradores fantasmas adquiridos em média por 165.000 cada, sendo entregue no máximo 20, até o momento, de um total de 200, o PSL de Santa Catarina, suspendeu por sete meses os deputados da legenda que iriam compor a CPI. 

Defender o partido e Moisés a qualquer custo é a intenção.

Convém lembrar que Douglas Borba, recém-saído do governo Moisés é secretário Geral do partido em Santa Catarina, sendo ele um dos responsáveis diretos pela compra dos respiradores superfaturados e que até agora não temos garantias que o número total encomendado chegará ao estado. E foi através de Borba que se articulou uma suspensão aplicada pelo PSL aos deputados do partido que estavam lutando para comprovar os crimes cometidos contra o erário Catarinense.

A partir do momento em que foi aplicada a suspensão, esses deputados da ala bolsonarista, estarão impedidos de compor a CPI.

Ao que parece Moisés e seus chegados, estão tentando se blindar, já tem algum tempo, contra membros do próprio partido, não é à toa que o líder do governo na Alesc é uma deputada do PDT.

Os deputados suspensos irão recorrer a instância nacional do partido.

Torna-se cada vez mais evidente que houve crime de responsabilidade fiscal na compra das 200 respiradores, e cada vez mais o partido, o governador e seus aliados tentam obstruir as ações que possam escancarar a sua responsabilidade em relação a torra dos 33 milhões de reais.

É abjeta a intenção de Douglas Borba e do governador Moisés, presidente de honra do PSL SC, em suspender esses deputados, tudo por que a desculpa de que o governo "errou na mais absoluta intenção de acertar", não poderá absolver o líder do executivo estadual e seus secretários envolvidos no "rolo".

Lembrando que a empresa VeigaMed sumiu com quase a totalidade dos 33 milhões que estava em sua conta uma vez que o bloqueio imposto pelo judiciário não localizou o montante na conta da empresa, empresa está que, nunca fabricou nada além de gaze e balcões de farmácia, e nada mais fez do que assumir um papel de "passador"encomendando os respiradores da China.

Tempos atrás era moda esse tipo de ação, quando se comprava bugigangas através do site AliExpress ou do eBay, só que no caso do governo de Santa Catarina isso foi feito em relação ao material de alta complexidade e de um montante de valores milionário.

ANTERIOR                       PRÓXIMA

Mais Política

® 2016 TopElegance Comunicação e Mídia ME. Todos os Direitos Reservados
Pubblicitae Programação e Comunicação